Financiamento

 

Tire suas dúvidas

O que é?

É uma linha de crédito indicada para clientes pessoa física ou jurídica com a finalidade de aquisição de um imóvel novo ou usado sendo residencial ou comercial.

Passo a Passo

1.- Análise de crédito: Em até 24 horas

Em até 24 horas a CrediPronto analisa sua proposta e devolve um parecer. Caso necessário solicitará uma nova documentação.

2.- Análise do imóvel: 7 dias

A avaliação do imóvel garante que o valor de compra esta dentro do valor praticado no mercado. Feito por meio de perícia técnica, avalia a condição do imóvel, trazendo segurança e tranquilidade do valor bem investido. A CrediPronto providencia essa avaliação mediante apresentação da matrícula do imóvel e capa do IPTU (copia simples ou arquivo digital). O laudo será disponibilizado em até sete dias úteis

3.- Análise jurídica: 2 dias

Nesta fase, a CrediPronto realizará a análise detalhada de toda a documentação enviada. A análise jurídica é fundamental para a realização de uma transação imobiliária segura e a preservação de todas as partes envolvidas.

4.- Emissão do contrato de financiamento: 3 dias

Após a aprovação jurídica, o contrato é digitado e liberado para assinatura das partes em até três dias úteis.

5.- Liberação de recursos: 5 dias úteis

O pagamento ocorre cinco dias após o recebimento do contrato devidamente registrado no Serviço de Registro de Imóveis competente, através de depósito em conta corrente na conta do Vendedor.

Se você optou por financiar também o Imposto de Transmissão, esse valor será creditado em sua conta-corrente. * O prazo informado refere-se a uma média dos contratos processados. Alterações no prazo poderão ocorrer, de acordo com a análise do processo e necessidades de documentos complementares.

Linhas de crédito

1.­ Sistema financeiro de habitação (SFH)

No SFH, o cliente conta com taxas de juros menores e pode utilizar os recursos do FGTS. Para solicitar um financiamento no SFH, é preciso atender às seguintes condições:
  • O valor de avaliação e de compra e venda do imóvel deve ser igual ou inferior a R$750 mil (para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Para demais regiões o valor deve ser igual ou inferior a R$ 650 mil);
  • O imóvel deve ser residencial.
  • Prazo máximo de financiamento: 360 meses (30 anos) para imóveis residenciais.
  • Possibilidade de uso do FGTS conforme regras da Caixa Economia Federal (CEF).

2. Carteira Hipotecária (CH)

A Carteira Hipotecária é a linha de crédito utilizada para financiamento de imóveis com valor acima de R$750 mil (para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Para demais regiões o valor acima de R$ 650 mil); ou imóveis comerciais de qualquer valor. Ela está disponível para qualquer tipo de imóvel urbano, de acordo com as seguintes condições:
  • Prazo máximo de financiamento: 360 meses (30 anos) para imóveis residenciais e 240 meses (20 anos) para imóveis comerciais.

Características do financiamento

1.­ Garantia do financiamento

A garantia é efetivada através da alienação fiduciária ou hipoteca, do bem financiado em favor do banco, até a quitação do financiamento.

2.­ Reajuste da prestação e do saldo devedor

Os reajustes da prestação e do saldo devedor serão mensais, segundo o índice de atualização da Caderneta de Poupança, que atualmente é a TR (Taxa Referencial).

3.­ Transferência de financiamento

Possibilidade de transferência do saldo devedor de financiamento para atual proponente mediante análise e concessão de financiamento nas condições vigentes.

4.­ Seguros

O financiamento imobiliário contempla dois seguros previstos em lei. As coberturas previstas para os financiamentos são:

4.1.­ Morte e Invalidez Permanente (MIP)

Caso um dos clientes participantes do financiamento venha a falecer ou ficar incapaz de exercer sua profissão, prejudicando assim sua capacidade de quitar o saldo devedor, esse seguro quitará a parcela correspondentea, segundo o percentual da renda total pelo qual o cliente é responsável.

4.2.­ Danos Físicos ao Imóvel (DFI)

Esse seguro cobre eventuais danos que possam ocorrer ao imóvel no período do financiamento, exceto problemas oriundos do período de construção. A cobertura DFI incide sobre o valor de avaliação do imóvel e responderá pelas despesas de reparos, inclusive quitando as prestações do financiamento enquanto o imóvel estiver em obras.

5.­ Incorporação de custos adicionais

Na aquisição do imóvel existem gastos com cartório e com o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), que somados podem chegar a até 5% do valor da avaliação do imóvel.
Estes custos adicionais podem ser incluídos no financiamento. Assim é possível ter dinheiro disponível para pagar à vista e negociar descontos maiores na decoração e mobília. Você também pode usar esses recursos para fazer pequenas reformas no seu novo imóvel sem precisar recorrer a outros financiamentos.
Neste caso, primeiro você paga o cartório e o imposto, e recebe o reembolso após o registro do contrato.

Perguntas Frequentes

1.­ Já possuo um financiamento imobiliário, posso fazer outro?

Sim, desde que comprove renda suficiente para assumir ambos os financiamentos, e que o novo financiamento se enquadre na política de crédito vigente.

2.­ É possível fazer transferência do financiamento bancário?

Sim. A transferência do financiamento somente será possível mediante a concessão de um novo financiamento ao solicitante, que terá como base política de crédito e legislação vigentes à época da concessão. O cálculo da renda mínima necessária está condicionado às variáveis da nova operação, tais como: valor do financiamento, idade do proponente e ao valor de avaliação do imóvel.

3.­ Imóveis em construção podem ser financiados?

Não. Apenas os imóveis que estão concluídos e com o habite-se (Trata-se de um documento que comprova que um empreendimento ou imóvel foi construído seguindo-se as exigências (legislação local, especialmente o Código de Obras do município) estabelecidas pela prefeitura para a aprovação de projetos).

4.­ Se a minha renda não atingir o mínimo exigido, posso somar a renda com a de outra pessoa?

É permitido que cada financiamento seja formado por, no máximo, duas pessoas, que poderão compor a renda exigida. Clientes casados, inclusive por União Estável, somente é permitida a composição de renda com seu respectivo cônjuge.

5.­ O que é ITBI?

Imposto de Transmissão de Bens Imóveis, cobrado pela Prefeitura, o mesmo pode chegar a até 5% do valor do imóvel. Atenção: cada prefeitura estabelece um prazo para o pagamento do ITBI. Fique atento para não pagar multa por atraso. Lembre-se que você também pode incluir o valor do ITBI e custos cartorários no seu financiamento.

6.­ É obrigatória a abertura de conta corrente no itaú?

Somente para o cliente comprador, pois o financiamento imobiliário da CrediPronto é operacionalizado por meio de débito automático. Por esta razão, é necessário que possua uma conta corrente no Itaú.

7.­ Posso utilizar o FGTS para amortizar o saldo devedor em um imóvel financiados pela Carteira Hipotecaria?

Não. O limite aceito pelas regras de uso do FGTS em utilização para financiamento a e venda do imóvel deve ser igual ou inferior a R$750 mil (para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Para demais regiões o valor deve ser igual ou inferior a R$ 650 mil); O imóvel deve ser residencial.

8.­ Posso adquirir o imóvel em qualquer lugar, usando o FGTS?

Não. Há restrições. O imóvel deve estar situado no município onde o comprador exerce sua ocupação principal, ou em município limítrofe, ou pertencente à mesma região metropolitana. Poderá ser escolhido imóvel no município onde o cliente mora, desde que comprove que não possua nenhum imóvel em todo o território nacional.

9.­ Posso usar o FGTS para adquirir imóvel para o meu filho?

Não. É vedada a sua utilização para moradia exclusiva de familiares, dependentes ou terceiros.

10.­ Existe enquadramento para o uso do FGTS para o imóvel?

Sim. O imóvel além de estar em condições para moradia, não poderá ter sido adquirido pelo(s) vendedor(es) com recursos do FGTS, nos últimos três anos.

11.­ O que é contrato de compromisso de compra e venda?

É a formalização do compromisso comercial entre o comprador e o vendedor do imóvel.

12.­ Posso utilizar o FGTS para amortizar o financiamento imobiliário?

Sim, desde que o financiamento se enquadre nas regras da CEF você pode utilizar para amortização extraordinária do saldo devedor para redução do valor da prestação ou amortização extraordinária do saldo devedor para redução do prazo contratual.